Messerschmitt Me 262A-1a/U2 (V056) - HobbyBoss 1/48
Escrito por Ricardo P-40   
Sáb, 19 de Janeiro de 2013 23:31

alt

 

Messerschimitt Me 262A-1a/U2 (V056)

HobbyBoss 1/48

Kit Nº 80374

 

HISTÓRICO

A versão do Me 262A-1a/U2, foi parte de um conjunto de aeronaves normais de linha de produção, modificados para testar a capacidade do Me 262 de atuar como caça noturno. No caso do V056 (W.Nr. 170056), esse recebeu a instalação do radar FuG218 ¨Neptun VI¨ de 158-185 Mhz e antenas. Basicamente o mesmo arranjo que vinha sendo instalado nas conversões mais recentes dos Me 110 e He 219 entre outros em serviço como caças noturnos. Quatro antenas dipolares foram montadas em X no nariz, sem maiores outras modificações visíveis. Nos testes iniciais a cauda do avião foi pintada de preto e diversas tiras coladas para que se pudesse observar o fluxo de ar ao redor da cauda. O avião realizou diversos testes em janeiro de 1945 sob o comando do ás da caça noturna Oblt. Kurt Welter. Ao contrário de outros aviões usados nesses testes, o V056 permaneceu com os 4 canhões instalados no nariz. Em fevereiro de 1945 o radar foi substituído pelo novo FuG226 ¨Neuling¨ e um par de antenas foi instalado sobre a asa direita para melhorar a resolução da imagem. Mesmo tendo durante os testes em combates noturnos Kurt Welter obtido 5 vitórias, sendo 3 contra Lancasters e 2 contra Mosquitos, ficou claro que a operação consecutiva do radar era uma sobrecarga demasaiada para o pilot. Concluiu-se então que era necessária a instalação de um segundo posto na aeronave onde atuaria um tripulante responsável pela operação exclusiva do radar, tornando-se então o (V056) o banco de provas que deu origem a versão biplace B1a/U1 do Me 262. Após vários testes o (V056) ficou seriamente danificado após um pouso forçado, não retornando mais ao serviço ativo. Existem várias fotos da época dos testes com o V056, das quais algumas eu reproduzo aqui:

alt alt alt alt
alt alt alt

  

O KIT

Desde o final de 2010 a HobbyBoss vem lançando uma série de versões protótipos do Me 262 na escala 1/48. A idéia não é totalmente nova, uma vez que isso já havia sido feito antes pela Trimaster e posteriormente reeditado pela Dragon nos anos 80 e 90.  Porém passados mais de 20 anos desses lançamentos, hoje esses são kits considerados obsoletos, que apresentam varias deficiências quando comparados a tecnologia atual no mercado, já justificando a sua substituição por algo mais atual. Porém fica a pergunta do por que não lançar logo uma versão operacional do Me 262 e se ater apenas aos protótipos? A resposta envolve algumas questões ligadas diretamente as condições do mercado. Em primeiro lugar, lançar a versão operacional do Me 252A-1a/U1 significa concorrer diretamente com um fabricante de peso e renome como a Tamiya, o que não é muito fácil para uma empresa que ainda está se firmando no mercado. Em segundo lugar, essas versões protótipos sempre causaram um certo fascínio em uma quantidade considerável de modelista, constituindo-se num nicho a parte no mercado e que está bem mais livre para ser explorado.   

A versão do Me 262A-1a/U2 da HobbyBoss foi lançada por volta de agosto de 2012 e é o quarto de um conjunto até agora com 5 versões a saber: Me 262A-1a/U2, Me 262A-1a/U3, Me 262A-1a/U4, Me 262A-1a/U5 e Me 262A-1b. Os cinco kits são feitos a partir de um mesmo conjunto básico de peças, trazendo apenas alguns galhos diferenciados pelas peças que compõem as respectivas versões, Portanto muitas observações dessa análise também poderão servir para os demais kits da série. 

alt alt alt
alt alt

 

O kit é composto por mais de 190 peças, distribuídas em 12 galhos, sendo dois desses com 4 peças transparentes. Acompanha ainda um interior do porão de rodas frontal em metal branco, folha de decalques, folheto de instruções e diagrama de pintura.

A injeção de um modo geral é de boa qualidade, com poucas rebarbas e muito poucos pontos de injeção em locais inconvenientes. Percebe-se uma ligeira porosidade nas superfícies das peças maiores, muito típica dos kits da HobbyBoss, mas que não chega a causar inconveniências.  

Os galhos A1, A2 e R são moldados juntos e trazem as duas metades da fuselagem, as antenas do radar FuG 226 e a ponta do nariz com o encaixe para as antenas do radar.

alt

 A HobbyBoss realizou um excelente trabalho de detalhamento nas superfícies da fuselagem do kit, acompanhando cada uma das linhas principais de uma carreira de rebites finamente executada. Alguns podem até ver nisso um certo exagero,  porém eu entendo que isso vai muito da forma como cada um trabalha a superfície após a pintura básica. Já para outros esses detalhes podem ser um bom pretexto para um excelente trabalho de wash que certamente irá valorizar o resultado final. De qualquer forma esses rebites existem no avião real e dependendo da foto, eles podem estar menos ou mais visíveis, ficando por conta de cada um se prefere vê-los representados ou não nessa escala.

 

Outro detalhe importante desse kit, é o fato do painel do rádio já vir aberto e com toda a extrutura interna da fuselagem já estampada. Como veremos mais adiante, todos os componentes do rádio estão presentes em um outro galho e isso deixa em aberto mais uma alternativa de montagem, até então inédita em kits do Me 262 nessa escala.

 

Com relação aos componentes da antena FuG 226, eles são adequadamente finos para a escala, embora talvez se beneficiem mais de uma eventual substituição por outros em photoetch, tendo em vista a dificuldade de remoção do galho sem sofrer danos e a necessidade de eliminação das poucas rebarbas.   

 

alt alt alt alt

 

 O galho F é dedicado as superfícies superiores e inferiores das asas e aos estabilizadores horizontais.

 

alt

  A asa inferior é moldada em uma peça única com a mesma qualidade de detalhes encontrado na fuselagem. Um pequeno deslize da HobbyBoss foi uma linha representada a mais na junção dos painéis a frente do porão de rodas, formando um pequeno painel no local. As referencias mostram que tal painel não existia e que na verdade a junção das chapas ali era em forma de S não havendo a continuidade da linha representada pela HobbBoss. Um detalhe sem importância e fácil de solucionar. 

 

Na asa superior direita pode-se observar um pequeno painel quadrado logo atrás dos slats, me parece que esse painel era uma particularidade dessa versão, pois era justamente daí que saiam as duas antenas auxiliares do FuG 226. Observei que o mesmo painel aparece representado em outras versões do kit que não tinham essa antena e que talvez nesses casos seja mais conveniente eliminá-lo, pois pelo menos na versão A-1a/U1 ele não existia.

 

Uma crítica ao kit aos kits da Trimaster, Dragon,  Tamyia e que também se extende a esse, é a ausência da possibilidade de se montá-lo com os slats separados, uma vez que a maioria das fotos mostram os Me 262 com os slats extendidos para frente quando pousados.

 

Infelizmente também a HobbyBoss não previu transparências para representar as luzes de vôo da ponta das asas. De resto os detalhes sobre as superfícies são finamente gravados dando margem a explorá-los de forma obter-se excelentes resultados no acabamento final.

alt alt alt alt

No galho G encontramos as pernas de trem de pouso, elementos do interior da cabine, leme, portas do trem de pouso principal, rodas e alguns elementos do porão de rodas e baia dos canhões frontais.

 

alt

Me parece ter havido um pequeno exagero na forma como os gomos laterais dos pneus principais foram representados, porém nada que vá comprometer seriamente o resultado final. São fornecidos dois conjuntos de rodas frontais diferentes, ambas de excelente qualidade. Destaque para forma bem cuidada com que os detalhes das portas dos trens de pouso foram executados. O leme só é fornecido em uma opção, porém nada impede que se use o opcional da Tamiya em seu lugar pois encaixa perfeitamente. Os trens de pouso também são muito bem executados. Os detalhes do interior estão de excelente qualidade e o painel além de trazer os instrumentos em alto relevo dos dois lados, tem ainda a opção de se usar os relógios que vem fornecidos na folha de decalques. 

alt alt alt alt

 No galho H estão representadas as naceles e turbinas. Aqui a HobbyBoss basicamente reproduziu os soluções encontradas no kit da Tamiya, a única diferença é que os motivos estampados em baixo relevo estão ligeiramente mais nítidos o que os deixa com um aspecto um pouco mais agradável.

  

alt

Porém no afã de produzir algum diferencial nessa parte em relação ao kit da Tamiya, a HobbyBoss criou uma linha de painel na frente das naceles que não existia no avião real. Essa de fato era apenas uma linha de rebites, sendo mais conveniente eliminá-la antes da pintura.

Na face interna das naceles a HobbyBoss também reproduziu as extruturas internas das mesma, deixando espaço para que essa área possa ser eventualmente detalhada com algum aftermarket.

alt alt

O galho K trás representados a banheira do interior da cabine, o headrest, a parede corta-fogo e mais os elementos do rádio. Tudo finamente detalhado no mesmo nível do restante das peças.

alt

 No detalhe do folheto de instrução pode-se ter uma idéia do arranjo final do compartimento do rádio.

 

alt alt

 

Temos no galho M um opcional em plástico para a peça em metal do porão de rodas e as tampas inferiores e superiores da baia dos canhões. Cabe observar que as tampas superiores da baia, são mais finas e internamente um pouco melhor detalhadas que as da Tamiya, me parecendo mais adequadas a uma montagem com as tampas abertas.

alt alt

No galho N estão os componentes dos canhões frontais do Me 262 e a tampa do trem de pouso dianteiro. 

Me-020_zps81a7f35f.jpg image by ipmsrio

 

Já no galho P encontramos os elementos restantes da baia dos canhões, duas opções de cobertura frontal com saídas para 4 e 2 canhões, provavelmente para outra versão do kit e um opcional de cone do nariz com um furo central proveniente de uma outra versão do avião, mas que pode ser aproveitado numa conversão desse kit para a versão normal de caça A-1a/U1.

alt

 

Os galhos GP1 e GP3 são dedicados as transparências. De um modo geral o formato delas é correto, pouco diferindo do da Tamiya, havendo inclusive  a opção da blindagem frontal. Embora a tranparência seja límpida e cristalina, observei uma tendência um pouco maior que a da Tamiya de produzir o chamado efeito lente, principalmente na placa dianteira do canopi frontal. Não chega a ser um problema muito grave e que eventualmente pode ser minimizado com algum polimento nos locais adequados.

alt alt

O fundo do porão de rodas frontal é fornecido opcionalmente em uma peça de metal branco, cujo objetivo é servir de lastro para evitar que o avião tombe de costas quando estiver sobre os trens de pouso, Porém numa comparação de peso com a peça equivalente da Tamiya, observei que essa da HobbyBoss é bem mais leve, o que me leva a temer que não se possa confiar apenas nela para se manter a estabilidade do kit depois de montado. 

alt

 A folha de decalques é muito bem impressa com motivos bem centrados e com pouco filme residual onde não é necessário. Porém só representa apenas uma das variações da pintura desse protótipo como veremos mais a frente, e as marcações são tão sumárias quanto eram no avião real havendo a mais apenas uma quantidade razoável de stencils e os relógios para o painel. 

alt

O folheto de instruções é impresso em inglês e chinês, trazendo apenas indicações sumárias sobre os itens opcionais, cores ou a posição de um ou outro elemento. Os diagramas de montagem me parecem bastante claros e objetivos não devendo apresentar maiores dificuldades no acompanhamento das fases.

O diagrama de pintura mostra apenas o avião com as cores usadas durante os testes aerodinâmicos com o radar FuG 218, com a cauda pintada em preto. Porém a própria arte da capa e a foto do avião após o pouso forçado, sugerem que a cauda do avião recebeu um padrão de camuflagem convencional ou pelo menos teve a pintura preta temporária removida quando operava com o radar FuG 226. Observe-se a omissão no decalque do próprio número de série que havia na cauda na foto do acidente, porém foram impressos neste dois conjuntos de suásticas, com e sem borda branca, que não aparecem em nenhuma das fotos do avião real. Acompanha ainda no folheto as indicações de cores no padrão RLM e os códigos equivalentes das marcas Mr.Hobby, Vallejo, Model Master, Tamiya e Humbrol.

 

alt

CONCLUSÕES:

É inevitável ao se olhar para esse kit se querer de fazer comparações com o Me 262A-1A/U1 da Tamiya. Não há dúvidas de que a HobbyBoss seguiu bem de perto as receitas da Tamiya, procurando introduzir alguns detalhes a mais que produzissem algum diferencial a seu favor. Pode-se dizer que de uma certa forma ela foi muito bem sucedida nesse intento pois ambos os kits praticamente se equivalem em termos de qualidade.

O fato é que as dimensões gerais dos dois os kits são idênticas e a forma como os detalhes foram tratados é muito parecida, havendo apenas pequenas diferenças de interpretações em um ou outro detalhe menor, não chegando a caracterizar maior erro ou acerto de qualquer um dos dois. Os pontos positivos do kit da Tamiya em relaçao a este são, superfícies mais lisas, canopi melhor injetado, luzes nas pontas das asas transparentes e pneus das rodas principais mais realistas. Em compensação o kit da HobbyBoss já trás o compartimento do rádio aberto e com todos os elementos do rádio injetados, tampas da baia dos canhões mais finas, com um detalhamento interno melhor e alguns detalhes das superfícies externas melhor definidos.

Fica portanto por conta de cada um a decisão sobre se prefere o tratamento externo da Tamiya contendo apenas as linhas em baixo relevo ou o da HobbyBoss que as complementa com um conjunto de rebites finos as acompanhando em alguns dos casos. De qualquer forma ambas as representações são corretas e estão de acordo com o que se vê nas fotos dos aviões preservados, ficando a escolha por conta daquilo que cada um acha que deva ser representado nessa escala ou não.

A conversão do kit da versão A-1a/U2 da HobbyBoss na versão A-1a/U1, é extremamente fácil, uma vez que se limita a eliminação de um painel na asa superior direita e substituição do cone do nariz por outro fornecido no galho "P" do próprio kit. O que acaba fazendo dele também uma excelente alternativa ao kit da Tamiya para se fazer o caça convencional. Podendo-se inclusive aproveitar nele opcionais não usados de uma montagem anterior do kit da Tamiya para se fazer a versão caça/bombardeiro por exemplo.

Na minha opinião toda essa série de Me 262 da HobbyBoss é muito bem vinda pois traz uma opção mais atual as versões especiais desse caça que estavam relegadas aos antigos kits da Trimaster e Dragon, que apesar de essencialmente corretos, já se encontravam obsoletos em diversos aspectos. Só nos resta esperar que a HobbyBoss dê continuidade a série lançando também as versões biposto do Me 262 com o mesmo nível de qualidade.

Referências:

- Aero Detail 9 - Messerschmitt Me 262A

- Monographs 3D Editions 46 – Messerschmitt Me 262 Schwalbe Vol. I - Kagero

  

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum