MQ 9 REAPER - Skunkmodels - 1 72
Escrito por Alexandre Lima   
Sex, 24 de Fevereiro de 2012 17:07

 

 

 

MQ 9 REAPER - Skunkmodels - 1 72 (kit nº 72003) 

 

 

MQ-9 REAPER Unmanned Aerial Vehicle


O desenvolvimento de equipamentos bélicos beneficiados pela tecnologia digital, a transmissão de dados via satélite, a navegação GPS, os armamentos de precisão, além da intolerância da sociedade à perda de seus próprios soldados, por mínimas que sejam, permitiu o desenvolvimento de um “conceito” já posto em prática pelos alemães ao longo da Segunda Guerra Mundial com o sistema Mistel/Junkers 88.

Os Unmanned Aerial Vehicles (UAV), conhecidos no Brasil como Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT) ou, em um termo mais amplo, Veículos Remotamente Tripulados (VRT), não se limitando apenas aos vetores aéreos, mas todo tipo de veículo, terrestre, aéreo e marítimo pilotados à distância. Tais sistemas compreendem o veículo em si, seus operadores e os módulos de controle que podem estar próximos da zona de conflito ou mesmo em outro continente.

Desenvolvido pela General Atomics, a partir do RQ-1/MQ-1 Predator, O MQ-9 possui maior envergadura, alcance, teto operacional e maior poder de fogo que seu antecessor. Pode transportar mísseis AGM-114 Hellfire, bombas GBU-12 Paveway II, GBU-38 JDAM e os mísseis ar-ar AIM-9 Sidewinder e o AIM-92 Stinger. Os UAV como o Reaper, capazes de empreender ataques e lançar seus armamentos também são conhecidos como UCAV (Unmanned Aerial Combat Vehicles). Seu portfólio de missões inclui o Apoio Aéreo Aproximado, Interdição, Vigilância e Inteligência, Reconhecimento Armado e Monitoramento de Fronteiras.

Os RQ-1 Predator operaram nos Bálcãs a partir de 1995, onde voaram mais de 600 missões catalogando mais de 4.000 horas em apoio à OTAN, ONU e as força armadas americanas. O MQ-9 voa em operações no Afeganistão desde 2007 e no Iraque desde 2008. Junto com o Global Hawk, o Reaper e seu predecessor, o Predator, são os UAV que contabilizam o maior número de horas de voo e o maior número de missões de guerra no mundo!

 

O Kit:


O modelo da Skunkmodels vem em uma caixa simples de papelão, contendo uma foto do MQ-9 em vôo e armado e, no lado oposto, indicações para a pintura e decalques. Em seu interior encontram-se dois kits em uma embalagem plástica única, o panfleto de instruções e duas folhas de decais idênticas. São 4 galhas (2 por kit) para a construção de 5 versões do Reaper:

04-4011, 432 Air Expeditionary Wing, USAF, Creech Air Force Base;
05-4016, 432 Air Expeditionary Wing, USAF, Creech Air Force Base;
07-0109/ZZ 203, RAF, Afeganistão;
08-0133/ZZ 200, RAF, Afeganistão;
07-0108, US Customs and Border Protection.

O folheto de instruções em preto e branco possui ilustrações bastante elucidativas em 8 páginas que conduzem o modelista nos 9 passos necessários para a montagem do “Reaper”, bem como as indicações de pintura e o posicionamento dos decais para as diversas versões.

Moldado em plástico cinza claro cada aeronave compreende um conjunto de 41 peças de fácil montagem, com pinos guias em todos os subconjuntos. A dificuldade maior será destacar as pequenas peças das galhas sem danificá-las e sua posterior limpeza das rebarbas que restarem após este processo.

Há finos detalhes interessantes para a escala, como o tubo de pitot e o que parece ser o indicador de ângulo de ataque(AOA) ou uma tomada estática (peça B14), porém, a aplicação desta peça não consta no folheto de instruções.

Podem-se identificar alguns painéis, janelas de inspeção e rebites em baixo e poucos detalhes em alto relevo, os trens de pouso são simples, mas convincentes e o trem da bequilha é moldado em uma peça única (haste, pneu e tesoura do amortecedor).

O armamento inclui 4 mísseis Hellfire para a montagem em dois cabides duplos, razoavelmente detalhados para a escala e 2 bombas GBU-12 e seus pilones. As três pás da hélice e o spinner formam um único conjunto, assim como os pneus principais e os cubos de roda injetados em seu interior.

Foram encontradas pequenas falhas de injeção(furos) na conformação do formato de bolha das antenas representadas pelas peças B18 e B19, cuja solução deve vir por meio de putty, zap-a-gap ou qualquer outro meio de preenchimento preferido pelo modelista. De fácil solução, esta pequena imperfeição não compromete o kit como um todo.

Muito simplória é a torre multi-sensor (que representaria um telêmetro laser, um designador de alvos, uma câmera de vídeo e um sistema de visualização infravermelho – FLIR) a qual possui baixíssimo nível de detalhamento, mesmo a transparência para as lentes, inclusa no kit do MQ-9 em 1/48 (VIDE REVIEW NO SITE), inexiste no kit em 1/72.

Os decais são de excelente qualidade, produzidos pela Cartograf, e há esquemas coloridos orientando a pintura do modelo na face posterior da caixa de papelão, incluindo referências segundo o Federal Standard (FS), e para as tintas Humbrol, Modelmaster e Gunze.


 

l.jpg image by APRJ
k.jpg image by APRJ
n.jpg image by APRJ
y2.jpg image by APRJ
z12.jpg image by APRJ
z11.jpg image by APRJ
z9.jpg image by APRJ
z8.jpg image by APRJ
z7.jpg image by APRJ
z6.jpg image by APRJ
z5.jpg image by APRJ
z4.jpg image by APRJ
z3.jpg image by APRJ
z.jpg image by APRJ
y.jpg image by APRJ
u.jpg image by APRJ
t.jpg image by APRJ
s.jpg image by APRJ
r.jpg image by APRJ
q.jpg image by APRJ
p.jpg image by APRJ
h.jpg image by APRJ
j.jpg image by APRJ
z14.jpg image by APRJ
z15.jpg image by APRJ

 

 

Conclusão:

Em resumo, é um kit interessante, na verdade são dois por caixa, de fácil construção e que resultará em uma réplica peculiar de um dos vetores de combate que mais vem ganhando projeção no cenário da guerra moderna.



Agradecemos a LUCKYMODEL pelo modelo deste review.


 


 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum