Spitfire Mk. IIb "Profipack" - 1/48 - Eduard # 82154
Escrito por Amilcar "Mobi" Mesquita Jr   
Ter, 13 de Julho de 2021 00:00

82154 box

Eduard # 82154

No início dos anos 30, a RAF estava procurando uma substituição para o seus envelhecidos caças biplanos Hawker Fury. A necessidade de uma aeronave consideravelmente mais rápida era óbvia, pois os hidroaviões monoplanos de corrida daquele o tempo estava atingindo cerca de duas vezes a velocidade do Fury. Um dos designers de maior sucesso de hidroaviões de corrida era Reginald J. Mitchell. Seu Supermarine S.6B elevou o recorde mundial de velocidade para 407 mph (655 km/h) em 20 de setembro de 1931 e British Air Ministry, sob influência de tal realização, emitiu a especificação F.7/30, em outubro de 1931. Embora exigisse um avião de caça capaz de atingir de pelo menos 400 km/h (250 mph), sete dos oito participantes eram biplanos. A única proposta de monoplano foi o Supermarine 224 de Mitchel, mas o projeto que possuia asas de gaivota, trem de pouso fixo e o motor Rolls-Royce Goshawk, foi uma decepção por causa da falta de velocidade e baixa taxa de subida. Depois disso, a RAF escolheu o biplano Gloster Gladiator como o vencedor.

Da desilusão ao sucesso

O fiasco com o Tipo 224 não impediu Mitchell de continuar a trabalhar. Ele já tinha várias mudanças em mente, mas depois convenceu o Empresa Supermarine a financiar o trabalho de um design completamente novo, o Tipo 300, usando o novo motor Rolls-Royce PV12, mais tarde conhecido como o Merlin. O Ministério da Aeronáutica manifestou interesse e emitiu especificações F.37/34, em 28 de dezembro de 1934, para financiar o protótipo armado com quatro armas nas asas. Mas, no início de abril de 1935, Mitchell recebeu o detalhe da especificação F10/35, exigindo oito armas. O mudança custou da remoção do suporte de bomba e redução do capacidade dos tanques de combustível para sessenta e seis galões. A decisão resultou em diminuição do alcance e da resistência do Spitfire.

O Supermarine Type 300 fez seu vôo inaugural em 5 de março de 1936. O protótipo K5054 decolou do Aeródromo Eastleigh com piloto de teste-chefe Capitão Joseph “Mutt” Summers nos controles. Após apenas cerca de oito minutos de vôo, o piloto ficou muito impressionado, e ele supostamente disse: “Não mude nada!”.

O contrato inicial para produzir 310 Spitfires foi assinado em junho de 1936 e a primeira unidade a receber os novos caças foi o Esquadrão Nº19, em Duxford, durante agosto de 1938. Na época que a Grã-Bretanha entrou na guerra com a Alemanha (3 de setembro de 1939), a RAF já havia recebido de 306 Spitfires, que serviam em onze esquadrões. No começo de maio de 1940, outros oito esquadrões receberam Spitfires. Infelizmente, Reginald Mitchell não viveu para ver o Spitfire servindo com o unidades da RAF, pois ele morreu em 11 de junho de 1937, aos 42 anos. O fardo do desenvolvimento do Spitfire estava agora com Joe Smith.

O primeiro duelo entre Messerschmitt Bf 109 e Spitfire Mk.I ocorreu perto de Calais em 23 de maio de 1939, mas a primeira vitória aérea sobre um inimigo para Spitfire teve que esperar até 16 de outubro de 1939, quando nove Junkers Ju 88 atacaram navios de guerra da Marinha Real em Firth of Forth. Dois deles foram abatidos. As forças alemãs lançaram sua ofensiva na Europa Ocidental meio ano depois e os Spitfires começaram a disparar suas armas com muito mais freqüência.

O kit: Spitfire Mk.IIb

O Mk. II foi outra melhoria substancial no desenvolvimento do Spitfire, graças ao motor Merlin XII, mais potente, com 1150 cv. O motor também usava combustível de 100 octanas em vez de 87 octanas. Enquanto isso, os Spitfires Mk.I dos Nº 54 e 66 do Esquadrão foram equipado com a nova hélice Rotol RX 5/1 durante o início de 1940, reconhecível claramente pelo spinner maior e mais arredondado. Tornou-se padrão com Spitfire Mk. II (alguns receberam os Rotol RX 5/3 com lâminas de madeira). O Mk.II também foi equipado com equipamentos pirotécnicos starter Coffman. Para encaixá-lo sob a capota do motor, um pequeno uma protuberância teve que ser adicionada à capota do motor, do lado direito. O Spitfire Mk.II manteve o armamento do Mk.I, enquanto Mk.IIb tinha o mesmo armamento como o Mk.Ib, ou seja, quatro canhões Hispano-Suiza de 20mm calibre. Foram produzidos 921 Spitfires da variante Mk.II, todos fabricados na fábrica de Castle Bromwich.

 Fonte: Manual do Kit

maxresdefault

O novo Spitfire Mk.IIb 1/48 apresenta alta qualidade da injeção, sem rebarbas ou falhas. Os detalhes são finos e adequados a escala. As transparências são de ótima qualidade sem falhas ou distorções. O conjunto de fotogravados traz painel de instrumentos, cintos coloridos, detalhes internos e externos da aeronave. Acompanha também uma folha de máscaras para pintura do canopy. 

IMG 9431 IMG 9040 IMG 9053
IMG 9056 IMG 9061 IMG 9065
IMG 9068 IMG 9047 IMG 9427

Os decalques das marcações e estênceis são de fabricação da própria Eduard, de ótima qualidade e impressão de alta resolução, representam perfeitamente as inscrições do avião germânico. Como já verificado em outros reviews de montagem, os decalques da Eduard são finos, perfeitamente opacos e soltam-se da folha rápidamente após banhado em água morna. Fáceis de manipular durante a aplicação, não são quebradiços e aderem com perfeição.

 IMG 9429

O manual de instruções tem 20 páginas coloridas em papel couché, em formato A4, textos em checo e inglês, um breve histórico do Spitfire Mk.IIa, o mapa de peças, com a tabela de cores (referenciada com as tintas para a linha da Gunze Sangyo) e os símbolos de montagem. Logo após as instruções de montagem e o mapa de aplicação das máscaras de pintura, as ilustrações dos esquemas de pintura e o esquema de aplicação dos decalques e dos estênceis do avião, tudo muito claro e bem impresso. Clique aqui para ver o manual

Esta versão Profipack oferece 6 belas opções de pintura, são elas:

0001 0002 0003
0004 0005 0006

Dando continuidade a esta nova série do Spitfire, a Eduard apresenta mais um exemplar desta nova sequência de modelos de primeira qualidade desse lendário caça inglês. Recomendo tremendamente para modelistas de todos os níveis, pois a qualidade da engenharia de construção da Eduard facilita muito o trabalho de montagem do kit.   

 

Obrigado a Eduard pelo envio do exemplar para review!

alt

 
 
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum