SdKfz 222 Leichter Panzerspähwagen 2cm - Hobby Boss 1/35
Escrito por Marcello Pellicione   
Qua, 05 de Maio de 2010 00:00

O veículo:

O Sdkfz 222 foi a terceira variante de carro armado leve construída sobre um chassi padronizado e especificamente projetado para uso militar (pela Horch), seguindo os modelos 221 e 223. Antes deles, os Kfz 13 e 14 eram carros armados convertidos de veículos civis.

Tinha tração nas 4 rodas e avançava muito bem em terrenos pavimentados, estradas (onde desenvolvia a velocidade máxima de 80 km/h) e pisos pouco acidentados, vindo a assumir a função de reconhecimento avançado junto aos pelotões de blindados do exército alemão.

Fabricado de 1937 a 1944, foi utilizado em todos os fronts alemães da 2ª Guerra – da África à Rússia. Justamente nessas 2 frentes “extremas”, foi gradativamente substituído pelo meia-lagarta SdKfz 250, mais adequado às condições desses terrenos irregulares e acidentados.

O 222 levava uma tripulação de 3 homens: o comandante/municiador, o artilheiro e o motorista. Seu armamento inicial consistia do canhão Kw.K.30 de 2 cm (que podia ser usado também como arma anti-aérea) e uma metralhadora M.G.13, montados num pivô sobre um pedestal. A torreta, baixa, contava com grades protetoras dobráveis em seu topo. Inicialmente, nas primeiras levas, os carros não contavam com equipamento de rádio, sendo a comunicação entre unidades feita através do uso de bandeiras e sinais com o uso das mãos.

Modificações implementadas durante a produção do veículo incluíram a introdução da metralhadora M.G.34 (1938); melhorias na blindagem frontal (1939 e 1942); novo chassis, mudança do canhão para o Kw.K.38 de 2 cm e adição de um set de rádio de baixa frequência (1942); e pneus à prova de balas (1943).

O kit:

O modelo da Hobby Boss é uma benvinda adição à coleção atualmente disponível do 222 na escala 1/35. Isso porque inicialmente só havia o venerável kit da Tamiya (desde 1975!), que injeta também a variante 223. Após um hiato de aproximadamente 30 anos, a Tristar resolveu suprir o mercado com um modelo mais apurado do veículo, contando com o interior (inexistente no Tamiya). O modelo da HB, além de mais barato, traz ainda o motor (deixado de lado no kit da Tristar), tornando-se a melhor opção atual para quem quer um modelo completo do 222, levando vantagem na equação detalhamento/custo.

O kit é muito bem injetado em plástico cinza claro e rico em detalhes, na linha do trator M4 – quem já viu sabe como é. A moldagem é muito boa e encontramos poucas rebarbas (lá fora chamam de “flash”) em algumas partes.
São 312 peças mais decais, sendo 268 peças em estireno (4 sprues + 1 sprue de transparências), 4 em vinil (os 4 pneus) e 40 em photo-etched (em 3 pequenos frets).

O plástico não é muito macio, mas está no ponto, aceitando muito bem lixa e estilete. Com certa habilidade dá pra acertar as rebarbas sem muita lixa, só no corte. E, pelo que pude notar, as marcas e pontos de injeção ocorrem onde sempre ficarão escondidos após a montagem.

As peças em PE se resumem a detalhes do interior e dos pára-lamas, além das cintas de amarração das caixas laterais e das necessárias grades superiores. Aqui a Hobby Boss corrige uma pisada na bola da Tristar, que oferece a tela da parede corta-fogo em estireno (!!!) não vazado, ou seja, sólida.

Sem dúvida a grande vantagem do modelo é a qualidade da moldagem e o detalhamento fino apresentado. O fabricante se esmerou em reproduzir de maneira convincente características como as linhas de solda do casco, por exemplo. O pedestal do canhão está a anos-luz do similar simplório do kit da Tamiya (de 1975, bem lembrado) e é páreo para o da Tristar (fotos dele podem ser vistas no Perth Military Modelling). A moldagem dos canhões também é excelente (veja a foto). Ainda assim, não superam os similares em metal, ainda que sejam muito aceitáveis caso não se consigam substitutos.

As opções são outro ponto alto do modelo. A HB oferece os 3 canhões utilizados: o Kwk 30 inicial, o Kwk 38 e um Flak 38 L/50. Com isso o modelista pode optar por qualquer subvariante do 222. Isso não acontece com os Tamiya e Tristar – ambos trazem apenas o Kwk 38 em suas caixas.

O modelo é um show de detalhamento, mas... e os encaixes? Embora esse aspecto não possa ser plenamente avaliado em um review in-box, pode-se ter uma idéia pelas 2 peças de casco, que vem livres de qualquer sprue. E as duas se encaixam de maneira extremamente fácil, dando a impressão que tudo encontrará sua posição no modelo de modo perfeito, sem maiores complicações. Isso, no entanto, pode ser uma falsa primeira impressão. Só a montagem dirá.

As instruções são como as do M4: bem desenhadas e com esquemas detalhados, elas vêm impressas em duas folhas dobradas, perfazendo 14 etapas principais de montagem. O alto número de peças e subconjuntos, e de seus códigos, não dificulta a compreeensão das mesmas, uma vez que os esquemas são claros e grandes, facilitando a vida do modelista.

A folha de decais oferece 3 versões (3 licenças), stencil e painel para o interior do veículo. No entanto, na tradicional folha colorida em couché com as intruções de pintura, a HB só esclarece o esquema de 2 veículos, ficando a 3ª opção em um limbo, a espera de pesquisa por parte do modelista. E parece que há algo errado, pois um dos esquemas de pintura refere-se a um veícula na Tunísia, em 1943, todo em Panzer Gray. Esse terá de ser bem pesquisado, pois acho que em 1943 e no Norte da África a cor correta seria o Desert Yellow.

Conclusão:

O kit é exclente e muito bem detalhado, sendo a alternativa ideal para o modelista que quer um modelo completo do SdKfz 222. A possibilidade de montagem de qualquer subvariante também é um ponto positivo.

Meu Tamiya foi alegremente relegado a uma vinheta ou diorama, o que não é menos auspicioso.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum