SMS Lützow 1916 - Flyhawk 1/700
Escrito por Ricardo P-40   
Dom, 31 de Maio de 2015 00:10
Lutzow

 SMS Lützow 1916

Flyhawk 1/700 – FH1301

A Classe Derfflinger

Foi uma classe de três Cruzadores de Batalha (Schlachtkreuzer), ordenados pela Marinha Imperial Alemã (Kaiserlich Marine) através do Programa de Construção Naval de 1912-13 em resposta aos três navios da Classe Lion lançados pela Royal Navy poucos anos antes. A classe foi composta pelos Cruzadores de Batalha: SMS Derfflinger, SMS Lützow e SMS Hindenburg. Essa trazia um considerável avanço em relação a Classe Moltke que a precedeu, assim como ao melhorado SMS Seydlitz, tendo como característica o armamento principal montado na linha central do navio, eliminando o arco de tiro restrito das torres posicionadas a meia nau nas classes mais antigas. Seus navios também eram mais longos, porém usavam um sistema de propulsão semelhante ao dos seus precedentes o que os tornava um pouco mais lentos.

Em 1912 o Almirante Alfred von Tirpitz aproveitou a indignação pública contra o envolvimento britânico na Crise de Agadir de 1911 para pressionar o Parlamento Alemão (Reichstag) para liberar verbas adicionais para a marinha alemã. Isso garantiu fundos para a Quarta Lei Naval que previa a construção de três novos Cruzadores de Batalha, dois Cruzadores Leves e mais 15.000 militares adicionais aos quadros da marinha em 1912. Sendo que os três Cruzadores de Batalha previstos se materializaram nos Derfflinger, Lützow e Hindenburg. Os projetos dos dois primeiros começaram a ser elaborados em 1910 e continuaram até junho de 1911, porém o Hindenburg recebeu algumas modificações e seu projeto só foi feito entre maio e outubro de 1912. Uma das principais preocupações durante o projeto da nova classe foi corrigir deficiências encontradas nas classes antecessoras, principalmente no que dizia respeito a propulsão e ao armamento principal. Uma das modificações previu o uso de um motor a diesel ligado ao eixo central, o que aumentou consideravelmente o raio de ação dos navios. Além do mais isso facilitou a tarefa de transferência de combustível e reduziu o número de tripulantes necessários a operação das máquinas. Na época também houve uma demanda do departamento naval quanto ao aumento do calibre do armamento principal de 11 polegadas (28cm) para 12 polegadas (30,5cm). O argumento principal era que nos últimos couraçados britânicos foram instaladas uma cinta de blindagem mais espessa, com 12 polegadas (300mm) e que para os cruzadores de batalha alemães terem condições de confrontá-los seria necessário um armamento mais potente para penetrar a blindagem dos oponentes. Para implementar esse aumento no poder de fogo dos canhões, foram necessários alguns arranjos que reduzissem o peso de cada navio, tal como reduzir o número de canhões de 10 para 8 e o emprego de novas técnicas de construção que permitiriam a redução do número de longarinas de aço no casco, sem comprometer a resistência estrutural do mesmo. No final essas modificações reduziram significativamente o peso dos navios, permitindo a instalação de 8 canhões de 12 polegadas em quatro torres duplas dispostas na linha central dos mesmos. 

 photo Lutz - 02 Derfflinger_zpsk9p3pcks.jpg  photo Lutz - 03_zpshbiwjub0.jpg  photo Lutz - 04 Hindenburg_zpsecc3aryq.jpg

O Derfflinger e o Lützow foram construídos com cerca de 210,4 metros de comprimento e o Hindenburg ficou com 212,8 metros, todos os três com 30,4 metros de largura máxima 9,3 metros de calado.  Os dois primeiros deslocavam 29.300 toneladas e o Hindenburg 29.704 toneladas. Os cascos foram construídos com longarinas longitudinais sobre as quais as chapas de aço eram rebitadas, sendo que o Derfflinger tinha 16 compartimentos estanques e o outros dois um décimo sétimo adicional. Apesar de uma certa tendência a alagar o convés, os navios da classe eram considerados como tendo uma excelente navegabilidade, e perdiam apenas 65% da velocidade com os dois lemes virados a 11 graus. A tripulação normalmente era composta por 44 oficiais e 1.068 marinheiros, havendo um adicional de 14 oficiais e 62 marinheiros quando servindo de nave capitânea do Primeiro Grupo Avançado ao qual foram incorporados.

Os três navios participaram ativamente das ações da Esquadra de Alto Mar durante a Primeira Guerra. O Derfflinger foi comissionado logo após o início da guerra e participou da maioria das ações no Mar do Norte, incluindo as Batalhas de Dogger Bank e da Jutlandia. O Lützow foi comissionado em agosto de 1915 e participou apenas dos ataques a Lowestoft e Yarmouth, sendo a seguir afundado logo após a sua participação na Batalha da Jutlandia. Já o Hindenburg só foi comissionado em maio de 1917, não tendo participado de maiores ações. O Derfflinger e o Hindenburg foram internados em Scapa Flow logo após o armistício de 1918, tendo sido ambos afundados pelas suas próprias tripulações para evitar suas possíveis incorporações a Royal Navy.

O SMS Lützow

 

Lutzow

O Lützow foi o segundo navio de sua classe e foi construído em substituição ao obsoleto Cruzador Protegido Kaiserin Augusta, tendo sido lançado em 29 de novembro de 1913 no estaleiro de Schichau, porém só foi completado em  1915. Ele seguia basicamente o mesmo projeto do predecessor Derfflinger, tendo como principais diferenças um par de canhões secundários de 5.9 polegadas a mais e um compartimento estanque adicional no casco. O seu nome foi uma homenagem ao General prussiano Ludwig Adolf Wilhelm von Lützow que combateu nas Guerras Napoleônicas.  

Lutzow

Durante os testes foram constatados um deslocamento de 30.000 toneladas, uma velocidade máxima de 26,4 nós e um alcance de 5.600 milhas náuticas a uma velocidade de cruzeiro de 14 nós. Seu armamento era composto por: 8 canhões de 30,5cm (12”) SK L/50 dispostos em quatro torres duplas, 14 canhões de 15cm (5.9”) SK L/45 sendo 12 em casamatas individuais, 8 canhões anti-aéreos de 8,8cm em suportes individuais e 4 tubos individuais de torpedos de 60cm (24”).  Na época ele e o Derfflinger eram considerados os dois mais poderosos Cruzadores de Batalha alemães.

 photo Lutz - 06_zpszwfqf2i3.jpg  photo Lutz - 07_zps9dxwws31.jpg  photo Lutz - 08_zpsgabvdh0p.jpg

O navio foi comissionado em 8 de agosto de 1915, porém só pode se juntar ao Primeiro Grupo Avançado em 20 de março do ano seguinte, devido a problemas nos motores que surgiram durante os testes. Com isso ele só se juntou ao grupo após as principais ações conduzidas pelos Cruzadores de Batalha alemães terem ocorrido e como resultado acabou participando de poucas ações durante a guerra. Tomou parte apenas no bombardeamento de Yarmouth e Lowestoft na Inglaterra, juntamente com o Derfflinger, Moltke e Von der Tann em 24 e 25 de abril de 1916, no qual destruiu cerca de 200 edificações e causou várias baixas, acabou por tornar-se ao longo da ação o navio capitânea do Almirante Franz von Hipper.

 photo Lutz - 09 Seydlitz_zpstjmziqwb.jpg  photo Lutz - 10 Moltke_zpsbb9jhewc.jpg  photo Lutz - 11 Von der Tann_zpsy9rp38lc.jpg

No mês seguinte teve uma participação significativa na Batalha da Jutlândia sob o comando do Contra Almirante Bodicker, liderando o Primeiro Grupo Avançado, acompanhado dos Cruzadores de Batalha Derfflinger, Seydlitz, Moltke e Von der Tann, entre 31 de maio e 1º de junho, na qual o Lützow afundou o Cruzador de Batalha inglês HMS Invincible e teve participação no afundamento do Cruzador Armado HMS Defence, além de produzir significativos danos no Cruzador de Batalha HMS Lion e no Destroyer HMS Onslow . Porém foi severamente danificado por cerca de 24 projéteis de grande calibre, o que lhe causou a inundação da proa, tornando inviável a viagem de retorno a Alemanha. A tripulação do navio foi evacuada e o mesmo foi afundado pelos torpedos disparados por uma de suas escoltas, o Torpedoboot G38. Durante a batalha o Lützow teve 115 tripulantes mortos e 50 feridos, só ficando atrás das baixas do Derfflinger com 157 mortos e 26 feridos.

 photo Lutz - 12 Invincible_zpsx44xfhpn.jpg  photo Lutz - 13 Defence_zps1afokok7.jpg  photo Lutz - 14 Lion_zpsls1idl1q.jpg

 

  O Kit da Flyhawk

 

 photo Lutz - 15_zpsswemakz4.jpg  photo Lutz - 16_zpsg9ae9gi4.jpg  photo Lutz - 17_zpsvyhl62zd.jpg

Este vem caprichosamente embalado em uma caixa de papelão com 39cm de comprimento, por 14,5cm de largura e 5,5cm de altura. No verso da caixa vem um excelente resumo histórico do navio, o que infelizmente é algo que hoje não acompanha a maioria dos kits. Cada um dos conjuntos de peças vem em embalagens individuais, o que é bem mais seguro em um kit com tantas peças minúsculas como esse.

O kit em sí é composto por 294 peças injetadas em plástico de excelente qualidade, divididas em 5 arvores e 7 peças individuais, um fotogravado, uma barra de lastro em metal branco, uma folha de decalques e um folheto de instruções. A injeção das peças é muito bem executada, estando as peças praticamente isentas de rebarbas, também não foram observadas marcas de injeção em locais indesejáveis.

 photo Lutz - 18_zpskztszrir.jpg  photo Lutz - 19_zpsrltbinle.jpg  photo Lutz - 20_zps8lzmczul.jpg

Arvore A - Aqui temos as duas metades do casco do tipo “waterline” (cortado na altura da linha d’água), tal como anunciado na tampa da caixa e as duas redes anti torpedos representadas enrroladas. Infelizmente no nosso exemplar uma parte da árvore veio empenada torcendo um pouco uma das redes, porém nada que não possa ser facilmente reparado. Os detalhes no casco são excelentes e bastante adequados à escala. No entanto, observei que essa árvore foi a mesma usada no kit do Derfflinger e comparando com as poucas fotos nítidas dos dois navios que obtive, aparentemente existiriam algumas pequenas diferenças no número e posicionamento das escotilhas do casco, que estariam no kit mais de acordo com o Derfflinger. Isso é algo que nessa escala só irá preocupar aos mais exigentes, porém não é nada muito difícil de corrigir.

 photo Lutz - 21_zpsryjftgfe.jpg  photo Lutz - 22_zpsyh0h8fie.jpg  photo Lutz - 23_zpsfwbtg0ko.jpg  photo Lutz - 24_zpsbxvnwjzs.jpg

Arvore B - No kit são fornecidas duas arvores B, sendo estas também arvores comuns ao Derfflinger, nele se encontram as torres e canhões principais, o armamento secundário, escaleres, botes salva-vidas, holofotes, âncoras e outros detalhes da superestrutura e convés.  O nível de detalhamento é fantástico, principalmente se levarmos em conta a escala do modelo. Alguns dos escaleres chegam a causar inveja a equivalentes em modelos de escalas maiores, destaque especial para as âncoras e os minuscúlos holofotes magnificamente bem executados.

 photo Lutz - 29_zps0ipmj0k1.jpg  photo Lutz - 30_zpsujxpyimk.jpg  photo Lutz - 31_zpsnk3kl2rj.jpg

Arvores C, D, F, G, H e L – No arvore C estão representados os suportes da rede anti torpedos. A arvore D representa uma cinta que ficava ao redor da barbeta da torre A. Na arvore F temos a superestrutura central onde ficavam as casamatas dos canhões secundários de 150mm. A arvore G forma a base da superestrutura principal e parte da ponte, destaque para as táboas do passadiço e para as finas paredes das amuradas que ficavam entre as torretas dos canhões de 88mm. As arvores H e L representam respectivamente as bases das duas chaminés, neles foi feito um magnífico trabalho de modelagem das palhetas das paredes, principalmente se considerarmos o tamanho diminuto das peças.

 photo Lutz - 25_zpsuyiayl89.jpg  photo Lutz - 26_zpsxlyg7u7s.jpg  photo Lutz - 27_zpsz2hdirbu.jpg  photo Lutz - 28_zpsjyt49c6a.jpg

Arvore E – Esse é uma árvore específica do Lützow 1916, e comparando-a a equivalente do Derfflinger, podemos perceber algumas das pequenas diferenças entre os navios. A execução geral da árvore é de excelente qualidade, mantendo o mesmo capricho e nível de detalhamento visto nas outras partes. Estão presentes na árvore, o deque superior, detalhes da superestrutura, mastros, detalhes do convés e chaminés. Chamo a atenção para os minúsculos carretéis de cabos a serem aplicados sobre o convés, muito melhor  representados do que se fossem estampados em alto relêvo sobre o mesmo. Outro detalhe que merece atenção é a maneira como foram estampadas as táboas do passadiço do deque superior, muito  adequadas a escala. Outro detalhe interessante é a forma como as chaminés foram injetadas em peças únicas e com um excelente nível de detalhamento, o que demonstra que a Flyhawk utilizou de técnicas bastante avançadas de injeção nesse modelo. A presença de uma terceira chaminé, não utilizada, na árvore, nos deixa antever que alguma nova versão possa estar a caminho.

 photo Lutz - 32_zpsejhlhnn2.jpg  photo Lutz - 33_zpskcj6pxot.jpg  photo Lutz - 34_zps2rzwfvr4.jpg

As arvores J e K formam a base da linha d’água e o convés do navio. Observamos no nosso exemplar que ambas as extremidades da base vieram quebradas, embora isso não vá ficar visível depois do kit montado, uma pequena proteção de espuma ou papelão nas extremidades poderia evitar isso. Destaque para os excelentes detalhes do convés principal e para o fato da Flyhawk inteligentemente ter evitado as correntes das âncoras estampadas sobre o convés.

 photo Lutz - 35_zpsxm7lpofg.jpg  photo Lutz - 36_zpsbkkwbidx.jpg

O fotogravado vem em uma bolsa plástica, colado sobre uma cartela prêto e vermelha, com a qual o contraste dá ao conjunto uma aparência bastante luxuosa. Fotogravados para navios tem sido a especialidade da Flyhawk e aqui isso fica muito claro dada a acuidade com que cada motivo foi desenhado. Estão representados na folha, as amuradas, escadas, grades das chaminés, correntes das âncoras, guindastes e outros motivos menores, sendo que os guindastes são opcionais as peças injetadas que estão na árvore B. É muito realista o caimento que a Flyhawk deu aos cabos horizontais das amuradas.

decal

O decalque é muito bem impresso, com filme adequadamente fino, com motivos corretamente centrados e vem protegido por uma folha de papel manteiga. Estão representadas 3 bandeiras imperiais com as opções delas planas ou com dobraduras do vento, assim como a bandeira indicativa de Vice Almirante a bordo que era hasteada quando da presença de Bodicker no comando. Estão presentes também dois conjuntos de brasões da proa e popa e placas com o nome do navio que ficavam nas laterais próximas a popa, No entanto, tenho minhas dúvidas se estas marcações foram usadas em operações de guerra, pois eu não consegui identificá-las nas poucas fotos do Lützow que encontrei. Finalmente também estão na folha os dois círculos brancos que eram pintados sobre as torres centrais para identificação aérea.

 photo Lutz - 38_zpsm7flqlgq.jpg  photo Lutz - 39_zpszt9lnicd.jpg  photo Lutz - 40_zpsy5rz4hqv.jpg  photo Lutz - 41_zpsbktkbiov.jpg

O folheto de instruções é impresso a cores dos dois lados de uma folha única de papel brilhante de boa qualidade. Estão presentes além do diagrama das árvores e outras partes, os dados técnicos do navio, as instruções de montagem, pintura e colocação de decalques. A instrução de montagem é apresentada em forma de diagramas, com cada peça identificada conforme nas respectivas árvores. Os desenhos são de fácil compreensão e em etapas mais complexas foi utilizado um inteligente sistema de cores que facilita a identificação do posicionamento das peças. O mesmo sistema foi utilizado também na parte onde são indicadas as posições onde serão aplicadas as amuradas, facilitando bastante a compreensão. O diagrama de pintura, também é impresso a cores que reproduzem aproximadamente as cores a serem aplicadas em cada uma das partes do navio. Há ainda uma tabela com o nome genérico de cada cor em inglês e chinês e a respectiva equivalência com as tintas Mr. Hobby, Tamiya e White Ensign. Lembrando que embora a White Ensign tenha encerrado suas atividades, suas tintas continuam a ser produzidas e comercializadas pela Sovereign Hobbies.

Considerações Finais

Atualmente Flyhawk é uma das principais fabricantes de acessórios para navios no mercado. Foi sem dúvida uma grande idéia aproveitarem sua larga experiência no design de acessórios para desenvolverem kits completos. O resultado dessa experiência associada a técnicas de injeção bastante avançadas, resultaram em alguns dos melhores kits de navios dessa escala, entre os quais eu incluo esse também. Após o lançamento do excelente Derfflinger, era bastante esperado que a Flyhawk desse continuidade aos navios da classe aproveitando as partes em comum, e o lançamento desse Lützow vem a atender a essa expectativa. O kit é excelente, e os poucos problemas encontrados são de muito fácil solução. O problema do aproveitamento do casco do Derfflinger é uma questão menor diante das imensas qualidades gerais do kit e sua correção pode ser facilmente executada pelos mais exigentes. Esse kit vem também ajudar a preencher uma grande lacuna que existe hoje no mercado de navios usados durante a Primeira Grande Guerra e sinceramente esperamos que a Flyhawk volte a nos brindar com outros navios desse período. Dada a complexidade da montagem, e do grande número de peças muito pequenas, eu recomendaria mais este kit para aqueles já com alguma experiência na montagem de navios na escala 1/700 e especialmente no manuseio de photoetches.

 

 

Obrigado Flyhawk pelo envio deste modelo para review!

 

alt

 

 

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum