F4F-4 Wildcat, Arma Hobby,1/72, Expert set

70047

O Avião

A Segunda versão do famoso caça naval Wildcat entrou em serviço no primeiro semestre da Guerra do Pacífico. Seu antecessor, o F4F-3, havia participado dos combates iniciais com os japoneses, provando-se eficaz em repelir ataques lançados contra grupos de porta-aviões americanos por bombardeiros inimigos baseados em terra. O F4F-3 tinha uma desvantagem, porém – suas asas era fixas, e isso limitava o número de aeronaves que poderiam ser armazenadas em um hangar de porta-aviões. Para eliminar essa desvantagem, os engenheiros da Grumman introduziram uma nova versão do Wildcat com asas dobráveis: o F4F-4. O avião foi equipado com uma unidade de potência aprimorada (o que forçou um redesenho da carenagem do motor) e tinha duas metralhadoras adicionais de 12,7 mm nas asas, perfazendo um total de seis.

Os primeiros F4F-4 foram embarcados em porta-aviões na primavera de 1942, gerando sentimentos contraditórios. Enquanto os comandantes do grupo de porta-aviões, sem dúvida, apreciavam o aumento no número de caças à sua disposição, os pilotos da Marinha dos EUA estavam insatisfeitos com o aumento do peso do F4F-4 e seu armamento modificado. Devido à necessidade de fornecer munição ao armamento adicional, o tempo de disparo efetivo foi reduzido em aproximadamente 1/3. Outra fonte de dificuldade foram as características de manobra do Wildcats, Inferiores em comparação com seu principal oponente, o caça A6M2 Zero. O F4F-4 Wildcat provou-se na Batalha de Midway e na campanha das Ilhas Salomão. A Marinha dos EUA e os fuzileiros navais dos EUA se opuseram com sucesso aos caças Zero sobre Guadalcanal, usando a resistência e o poder de fogo do Wildcat. A variante britânica do F4F-4 foi o Martlet II (com o motor do F4F-3A, mas com as asas dobráveis ​​do F4F-4). Essas aeronaves participaram da Operação Torch – os desembarques aliados no norte da África – juntamente com Wildcats da Marinha dos EUA. A partir do segundo semestre de 1943, o F4F-4 Wildcat foi gradualmente substituído nas unidades de linha de frente pelos mais novos Hellcats e Corsairs.

Fonte: Manual do kit

O kit

O kit da Arma Hobby tem uma excelente qualidade de injeção, sem falhas ou rebarbas, os detalhes são nítidos e perfeitamente em escala, em destaque temos as linhas de painel, na espessura e profundidades adequadas, o que nem sempre acontece nesta escala. O plástico, nas peças maiores, tem uma superfície levemente áspera o que dá um aspecto ligeiramente aveludado,  certamente vai ajudar na adesão da tinta.

O interior é muito detalhado, temos piso, manche, pedais, consoles laterais, painel de instrumentos, manetes, colimador e outros detalhes, tudo muito bem representado. Os instrumentos e cintos vem na folha de decais.  Neste modelo da série Expert temos também o painel de instrumentos e os cintos numa folha de fotogravados.

O motor é muito detalhado, muito mais que o usual nesta escala. Temos os dois grupos de cilindros separados, o conjunto dos escapamentos, os radiadores de óleo, a unidade redutora da hélice, os tubos das válvulas injetados e a tubulação de óleo em fotogravados. A cobertura do motor tem as duas metades separadas, com duas opções e o anel frontal em peça única, com isso é possível montar o motor parcialmente aberto, mostrando os detalhes.

O complexo sistema do trem de pouso é bem representado, com ótimos detalhes, incluindo a representação do mecanismo de acionamento na parte interna com peças em fotogravados. Os braços que ficam entre as pernas do trem de pouso devem ser colocados no ângulo correto e para isso temos um gabarito para ajudar neste alinhamento. Rodas, de dois tipos, e pneus tem boa representação, já com a deformação para simular o peso do avião.

As superfícies de controle têm bom detalhamento, sem os exageros que vemos em outro kits, os lemes verticais e horizontais podem ser montados em posição acionado, mas ailerons e flaps são fixos.

A hélice e os taques sub alares têm boa representação. Mas será preciso cuidado ao separar a hélice da arvore devido ao posicionamento dos pontos de contato.

As transparências que incluem o canopy e as janelas inferiores têm ótima qualidade, perfeitamente translucidas e com espessura bem fina. Ainda que o canopy esteja em duas metades, o manual não informa se é possível montá-lo aberto.  Sendo a versão Expert acompanham um conjunto de máscaras para pintura, tanto para as transparências quanto para as rodas.

A folha de decais, feita pela Techmod,  é muito bem impressa, com filme fino, cores sólidas e sem falhas de registro. Com ela é possível se fazer até 10 versões diferentes. 6 de esquadrões únicos e mais 4 que são aviões diferentes dos mesmos esquadrões dentre alguns dos 6 primeiros.

O manual em papel de ótima qualidade é muito bem impresso, contém a história do avião, indicação das arvores, mas sem o mapa com o número das peças e indicação de pintura com referência de 7 fabricantes de tintas. O passo a passo é bem ilustrado com detalhes coloridos para chamar a atenção de pontos importantes, com texto em polonês e inglês. Temos ainda os perfis coloridos em 4 vistas para auxiliar a pintura e colocação dos decais.

Conclusão

O kit da Arma Hobby é muito bom seja na qualidade de injeção seja na quantidade de detalhes.  Muito mais detalhado que o antigo Hasegawa, e com detalhes mais finos e precisos que o da Airfix, ainda que este último permita representar as asas dobradas.  Certamente vai fazer um ótimo modelo.

Também é possível obter este kit na versão mais simples, 70048, sem os fotogravados e máscaras

Veja os acessórios Eduard para este kit aqui.

Obrigado à Arma Hobby exemplar deste review

Like this article?

Like this article?

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on Linkdin
Share on pinterest
Share on Pinterest

Leave a comment

Fique por dentro de nossas Novidades!!! Se inscreva para receber a nossa newsletter.